top of page

Autismo e os Desafio do Diagnóstico Tardio


Descubra os desafios do Diagnóstico Tardio. Fonte: Freepik

O autismo, conhecido formalmente como Transtorno do Espectro Autista (TEA), é uma condição complexa que afeta a forma como uma pessoa se comunica, interage socialmente e processa informações.


Embora muitas vezes seja identificado na infância, cada vez mais casos estão sendo diagnosticados em adultos. Essa descoberta tardia pode resultar em anos de luta silenciosa, desconexão e dificuldades emocionais. 



A Incidência Crescente de Diagnósticos Tardios


O TEA abrange uma vasta gama de graus e apresentações, o que torna sua identificação uma tarefa desafiadora, especialmente em adultos. 


Muitos indivíduos no espectro, particularmente aqueles com casos leves, demoram a perceber suas diferenças e só procuram ajuda quando confrontados com questões sociais ou interpessoais.


Conscientização promove inclusão! Fonte: Pixabay

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que existam 70 milhões de pessoas com TEA em todo o mundo, sendo 2 milhões apenas no Brasil. 


Apesar desses números alarmantes, a falta de conscientização continua a ser uma barreira significativa para a inclusão e compreensão desses indivíduos na sociedade.


Os Desafios de Ser Adulto no Espectro Autista


Para muitos adultos com autismo, a vida pode ter desafios complexos e isolados. Sem um diagnóstico claro ou suporte adequado, enfrentam dificuldades para se integrar socialmente e podem se sentir incompreendidos. 


O autismo é uma condição para toda a vida, e a compreensão de suas nuances em todas as fases é crucial para garantir qualidade de vida e inclusão social.


Variações no Espectro: Graus do Autismo


O autismo se manifesta em uma ampla variedade de graus, do leve ao grave. A maioria dos diagnósticos tardios está relacionada a casos leves, nos quais as dificuldades sociais e comportamentais podem ser mais sutis. 


Os graus do autismo são classificados em três níveis, com o nível 1 de suporte (exigindo apoio leve), o nível 2 de suporte (exigindo apoio moderado) e o nível 3, exigindo muito apoio.


Processo de Diagnóstico Tardio


Processo de Diagnóstico Tardio. Fonte: Freepik


  • Psicologia e Psiquiatria: Profissionais das áreas de psicologia e psiquiatria conduzem entrevistas iniciais, coletam dados relevantes e podem usar escalas padronizadas para direcionar o processo diagnóstico. 


  • Avaliação Neuropsicológica: Esse exame envolve uma série de procedimentos minuciosos, incluindo testes neurológicos e psicológicos específicos, entrevistas com o paciente e seus familiares, além de observação clínica.  O objetivo é mensurar e descrever o perfil de desempenho cognitivo, identificando possíveis alterações cognitivas associadas ao autismo.


Solucionando Desafios


Embora o processo de diagnóstico tardio de autismo possa ser longo e desafiador, obter uma resposta pode trazer alívio e autocompreensão. 


Com o diagnóstico em mãos, os adultos no espectro podem acessar suporte adequado, compreender melhor suas dificuldades e desenvolver estratégias para lidar com os desafios do dia a dia. 


Com o apoio de profissionais especializados e uma abordagem multidisciplinar, o indivíduo pode acessar os recursos necessários para uma vida plena e inclusiva. 


Se você suspeita estar no espectro autista, não hesite em procurar ajuda profissional. O diagnóstico tardio pode abrir portas para um futuro mais esclarecido e acolhedor.


14 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page